Arquivo para 'Linux'

Comandos básicos no dia-a-dia linux

shell_linux

Escrevi uma lista de comandos que são essenciais para lembrar ou fazer verificações no dia-a-dia linux, são estes comandos que são utilizados inicialmente em qualquer utilização do sistema operacional.

1 – Listando todos os arquivos de um diretório

O comando ls lista todos os arquivos de uma determinada pasta, além de listar todos os arquivos exibe o dono do arquivo, suas permissões de acesso e todos os arquivos

ocultos presentes.

ls -la

2 – Quantidade de memória em uso

com o comando free você pode ver em tempo real a utilização de memória RAM ou SWAP do seu computador com sistema operacional linux.

free -m -t

O -m mostra quantidade de memória em MB e o -t faz um cálculo de RAM + SWAP

3 – Mostrar todos os Processos em execução

O comando ps lista todos os processos em execução:

ps aux

O parâmetro aux faz com que o comando ps mostre todos os processos do sistema. Alguns campos são mostrados.

Exemplo:

USER Usuário que iniciou o processo (dono).

PID Número único do processo.

%CPU Utilização da CPU em porcentagem.

START A hora em que o processo foi iniciado. Caso a hora seja do dia anterior, é representado pelo dia e mês.

COMMAND O comando executado e todos seus argumentos. Caso o tamanho do comando seja maior do que a linha do terminal, ele ignora o resto.

4 – Finalizar ou matar um Processo no linux

Existe dois comandos que podem ser executados:

kill [PID]

killall [nome do processo]

Com o comando kill, precisamos primeiro identificar o seu número PID, para depois mandar o sinal (Lembrando que o comando ps lê e informa qual o PID do processo)

Com o comando killall, não é preciso saber o PID, apenas o nome do processo em questão.

5 – Status do sistema

tail -f /var/log/syslog

Esse log será visualizado em tempo real o que está acontencendo no seu sistema operacional independente da distribuição.

6 – Pesquisar arquivos ou pastas

O comando find é muito útil na busca e procura de arquivos na árvore de diretórios do sistema, está presente por padrão no sistema Linux.

Muito versátil nos critérios de pesquisa, por usuário, arquivo, data, permissões e muito mais.

Exemplos:

I – Procura por parte do nome de arquivo

Procurar no diretório /home/user todos os arquivos que iniciam com arq:

find /home/user -name arq*

Caso queira procurar no HD inteiro (no HD a procura pode ser demorada) utilize apenas a / indicando a raíz.

II – Outra opção de pesquisa

O comando locate localiza arquivos mais rápido que o comando find, pois, o find varre todo o caminho indicado, já o locate consulta um banco de dados, para obter resultados mais precisos.

locate meu_arquivo.txt

7 – Mudar a senha de usuário

Estando logado com o usuário, digite o comando abaixo e confirme a nova senha

passwd

8 -Comando para visualizar conteúdo de arquivo no linux

cat

Mostra o conteúdo de um arquivo, como o comando type do MD-DOS.

Exemplo: Cat /etc/pastas/arquivo.log

1 – Listando todos os arquivos de um diretório
O comando ls lista todos os arquivos de uma determinada pasta, além de listar todos os arquivos exibe o dono do arquivo, suas permissões de acesso e todos os arquivos
ocultos presentes.
ls -la
2 – Quantidade de memória em uso
com o comando free você pode ver em tempo real a utilização de memória RAM ou SWAP do seu computador com sistema operacional linux.
free -m -t
O -m mostra quantidade de memória em MB e o -t faz um cálculo de RAM + SWAP
3 – Mostrar todos os Processos em execução
O comando ps lista todos os processos em execução:
ps aux
O parâmetro aux faz com que o comando ps mostre todos os processos do sistema. Alguns campos são mostrados.
Exemplo:
USER Usuário que iniciou o processo (dono).
PID Número único do processo.
%CPU Utilização da CPU em porcentagem.
START A hora em que o processo foi iniciado. Caso a hora seja do dia anterior, é representado pelo dia e mês.
COMMAND O comando executado e todos seus argumentos. Caso o tamanho do comando seja maior do que a linha do terminal, ele ignora o resto.
4 – Finalizar ou matar um Processo no linux
Existe dois comandos que podem ser executados:
kill [PID]
killall [nome do processo]
Com o comando kill, precisamos primeiro identificar o seu número PID, para depois mandar o sinal (Lembrando que o comando ps lê e informa qual o PID do processo)
Com o comando killall, não é preciso saber o PID, apenas o nome do processo em questão.
5 – Status do sistema
tail -f /var/log/syslog
Esse log será visualizado em tempo real o que está acontencendo no seu sistema operacional independente da distribuição.
6 – Pesquisar arquivos ou pastas
O comando find é muito útil na busca e procura de arquivos na árvore de diretórios do sistema, está presente por padrão no sistema Linux.
Muito versátil nos critérios de pesquisa, por usuário, arquivo, data, permissões e muito mais.
Exemplos:
I – Procura por parte do nome de arquivo
Procurar no diretório /home/user todos os arquivos que iniciam com arq:
find /home/user -name arq*
Caso queira procurar no HD inteiro (no HD a procura pode ser demorada) utilize apenas a / indicando a raíz.
II – Outra opção de pesquisa
O comando locate localiza arquivos mais rápido que o comando find, pois, o find varre todo o caminho indicado, já o locate consulta um banco de dados, para obter
resultados mais precisos.
locate meu_arquivo.txt
7 – Mudar a senha de usuário
Estando logado com o usuário, digite o comando abaixo e confirme a nova senha
passwd
8 -Comando para visualizar conteúdo de arquivo no linux
cat
Mostra o conteúdo de um arquivo, como o comando type do MD-DOS.
Exemplo: Cat /etc/pastas/arquivo.log

Comparativo TCO e ROI Windows x Linux

Microsoft Windows Linux
Código fonte: Código pertence à Microsoft e não disponível para mudanças; 

Licenciamento:

 

Valor de aquisição alto e cobrança por chamadas CAL dependendo da aplicação do sistema operacional;

Obrigação de uso apenas de licenças adquiridas;

 

 

Suporte do fabricante ao SO:

 

Facilidade de localizar suporte;

Investimento previsto em suporte, certificação e treinamento, de 1 trilhão de dólares para 2013;
Tempo de suporte ao usuário muito menor relativo a outros sistemas operacionais;

Número maior de informações disponíveis na internet;

Canais especializados da própria Microsoft para suporte em todo mundo;

 

Suporte ao Hardware:

 

Maior parte dos hardwares disponibiliza drivers de dispositivos para este sistema;

Maior homologação de drivers gerando confiança na utilização;

 

 

 

Mão de obra:

 

Quantidade superior aos outros sistemas, de profissionais no mercado;

Maior quantidade de profissionais certificados;

Gama de certificações ampla e abrangente;

 

 

Código fonte: Livre e totalmente liberado a mudanças; 

Licenciamento:

 

Não há necessidade de adquirir licenças, em algumas distribuições apenas o registro do mesmo;

Linux não tem custo de aquisição e nem de licenciamento;

 

Suporte do fabricante ao SO:

 

Suporte pago em algumas distribuições;

Crescente quantia de informações na internet;

Tempo de reparo superior ao Microsoft Windows;

 

 

 

 

 

 

 

Suporte ao Hardware:

 

Menor a quantidade de fabricantes que disponibilizam drivers;

Em alguns casos a necessidade de engenharia reversa;

Pouco interesse de fabricantes criarem drivers para Linux;

 

Mão de obra:

 

Possui  um preço maior em manutenção e operação;

Profissionais Linux ganham em média 25% a mais que profissionais Microsoft;

Profissionais certificados Linux ganham até 40% a mais que profissionais certificados Windows;

Conclusão

Comparando ambos observamos que o sistema operacional da Microsoft leva vantagem nos quesitos:

  • Tempo e habilidade de suporte (24×7) oferecido pelo fabricante
  • Mão de obra disponível no mercado
  • Qualidade e valor da mão de obra
  • Plataforma abrangente e compatível para instalação de Softwares como ERP
  • Tempo menor na recuperação de desastres

Os custos de licenciamento e atualização do Microsoft Windows se tornam atraentes e pouco significantes perto de tais quesitos.

Firewalls hibridos Reativos e Pessoais

Os Firewalls híbridos utilizam filtros de pacotes utilizando proxy trazendo assim um bom desempenho e segurança. O recurso hibrido verifica tipos disponíveis, com isso baseia-se a nível de aplicação.

Os Firewalls reativos contam com detecção de intrusão e dísparo de alarmes, é uma evolução de firewall. Vantagem é que existe a capacidade de mudar as próprias configurações dinamicamente e com isso disparar alertas sobre mudanças.

Os Firewalls pessoais não protegem um segmento de rede, somente o equipamento local, ou seja somente um computador pessoal por exemplo. O Windows Firewall é um exemplo disso, ele cuida da comunicação de protocolos somente do equipamento onde está instalado, e verifica as conexões com a internet.

firewall_hibrido_reativo_pessoal

Get Adobe Flash player
Visit Us On TwitterVisit Us On FacebookCheck Our Feed