Go to the top

Seu Banco garante a sua privacidade?

LoFrano / Blog, Internet, Segurança da Informação, Tecnologia / 0 Comments

Seu Banco garante a sua privacidade?

Nos últimos tempos tenho falado muito sobre privacidade, principalmente relacionado a internet e como seus dados são expostos.

Nós somos produto das grandes empresas, elas utilizam nossos dados, preferências, localizações para determinar nossos comportamentos e o que nos oferecer.

Diante disto, existe eu diria não grande, mas gigante possibilidade dos nossos dados serem vendidos ou compartilhados a grandes organizações.

Eu sempre digo: O bem mais valioso que possuimos atualmente é a informação.

As instituições financeiras sabem do valor da informação, já existe uma grande tendência que estão querendo que se torne cultural que é o open banking.

Eu citei a anos atrás os problemas relacionados ao plugin warsaw da empresa Diebold com aplicações e computadores, e que eu suspeitei sobre a privacidade, pois esse recurso monitora o computador mesmo quando a navegação com o website do banco não está sendo acessado.

Em relação a tudo isso que falo sobre privacidade, acompanho o trabalho do Dr. Phelippe Zanotti Giestas, em relação a essa temática nos dias de hoje.

Privacidade Internet Banking

Logo abaixo gostaria de compartilhar um texto que li essa semana sobre essa situação que estamos vivendo nesse mundo high-tech.

Uma mistura de Grande Irmão com o Cavalo de Tróia

A maioria de nós conhece somente o Big Brother da rede Globo, mas essa expressão foi criada pelo genial escritor George Orwell.

Tal como no programa global, o grande irmão da distopia de Orwell vigia a todos e conhece todos os passos de cada um dos personagens do livro, mesmo quando eles pensam que estão escondidos embaixo do edredon.

Meio por acaso, o Dr. Phelippe Zanotti Giestas descobriu o “grande irmão” da vida real, longe dos livros e dos programas de televisão.

Ao usar um programa de aplicativo bancário, notou que o seu computador ficava um pouco mais lento, inicialmente pensou tratar-se de um vírus, o qual resolveu investigar.

Ao correr um programa do Windows descobriu que o aplicativo bancário tinha instalado um programa espião em seu computador e que esse espião continuava funcionado mesmo depois que ele deixava de usar o aplicativo do banco.

Diebold

Aquilo o intrigou, então ele resolveu estudar o assunto. O programa espião pertence a uma empresa americana chamada Diebold, que monitora, repassa ou vende as informações a respeito de seus usuários incautos para outras empresas, sem que esse negócio lucrativo seja do conhecimento dos verdadeiros donos das informações.

Que desonestidade do banco, esses safados devem ter colocado essa informação numa daquelas alíneas minúsculas do contrato que nos fazem aceitar para usar o seu aplicativo – imaginei -, mas para minha surpresa, nem nas letras minúsculas do seu contrato eles avisam ao consumidor que todas as informações do seu computador vão ser completamente monitoradas à partir do dia que você usa o aplicativo do banco pela primeira vez.

Sim, você que faz uma transferência de dinheiro pelo computador ou um pagamento pelo celular, tem todas suas informações ali contidas usadas pela Diebold da forma como eles acharem melhor, sua intimidade é vendida para o lucro do ” Grande Irmão” do mundo real.

É como se você contratasse uma empresa para tomar conta da sua casa em uma viagem e eles a usassem para fazer uma festa do arromba na sua ausência, mostrassem as fotos íntimas da sua filha para os convidados e fizessem piadas com as calcinhas da sua mulher.

Pior, depois que você voltasse da viagem eles teriam uma forma de continuar entrando na sua casa sem que você percebesse.

A Diebold é uma multinacional de muitos tentáculos, poderosíssima, ela é a fabricante das nossas urnas eletrônicas por exemplo, mas ela nada poderia fazer se não entrasse em nossas casas escondida nos aplicativos dos bancos, como os guerreiros gregos que entraram escondidos em Tróia dentro do cavalo que ofertaram de presente.

Conforme destacou o ilustre advogado capixaba: “Tenho consciência que estou confrontando gigantes, que tenho pela frente uma longa batalha judicial e de esclarecimento popular, mas tenho comigo a certeza de uma causa justa, a essência do melhor direito e a confiança na profissão que escolhi.” – Escrito por Sérgio Vellozo Lucas

Comentários

Comentários

Faça um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.