Camada Estratégica e a TI [Conceito e Evolução]

1 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

No contexto atual de freqüentes mudanças vivenciadas pelas organizações, o planejamento estratégico apresenta-se como fundamental para a inovação e adaptação das mesmas. O planejamento estratégico é uma ferramenta de gestão empresarial amplamente utilizada pelas organizações, sendo considerado um instrumento administrativo relacionados à estratégia empresarial.

planejamento_conceito_evolução

 1.1 Planejamento: Conceito e Evolução

Planejar diz respeito ao desenvolvimento de um programa para a realização de objetivos e metas organizacionais. De acordo com Terence (2002, p. 10) “a literatura trata o planejamento como uma das tarefas mais importantes do administrador, que pressupõe: escolher um destino, avaliar os caminhos alternativos e decidir o rumo específico para o alcance do destino escolhido”.

De acordo com Kunsch (2003, pp. 204-205), o “planejamento possui dimensões e características próprias, implica em filosofia e políticas definidas e é direcionado por princípios gerais e específicos”. Está sempre vinculado a situações e a realidades da vida das pessoas, grupos e das mais diversas organizações e instituições da esfera pública e privada.

Segundo Nascimento et al (2009, p.3) “O planejamento identifica-se com as funções administrativas de organizar, dirigir e controlar, manifestadas em todos os campos da instituição, como produção, distribuição, finanças e engenharia, proporcionando a linha mestra para as realizações em grupo.”

É através do planejamento que o gestor tem uma base para as ações a serem tomadas, deste modo é possível prever certos acontecimentos, estando preparado para qualquer eventualidade que possa acontecer. Sua origem veio com o surgimento da Administração Cientifica, onde seu precursor, Henry Taylor, utilizou o planejamento para substituir a improvisação. Durante este período era usado somente para as tarefas operacionais, escolhendo e adequando as ferramentas e os métodos de produção.

De acordo com e Djalma Oliveira (2002, p. 37-38), é preciso levar em consideração quatro princípios:

·         A contribuição dos objetivos – o planejamento desempenha um papel fundamental na obtenção dos objetivos totais;

·         A função de precedência – o planejamento precede as demais funções administrativas (organização, direção e controle), pois, embora essas funções se interpenetrem, o planejamento é o que estabelece os objetivos e os parâmetros para o controle de todo o processo administrativo;

·         A abrangência – o planejamento exerce influência generalizada em todas as atividades da organização, provocando modificações necessárias no que tange aos recursos que estão sendo empregados (humanos, técnicos e tecnológicos) e no sistema funcional como um todo;

·         A eficiência – dos planos para atingir os objetivos com o mínimo de problemas e se consequências indesejáveis.

O planejamento pode ocorrer em três níveis: estratégico, tático e operacional. Deste modo podemos encontrar empresários que atuam por meio do planejamento mais tático do que estratégicos, esquecendo-se das realizações e das metas de longo prazo. Assim, neste trabalho será dada ênfase ao planejamento estratégico.

1.2 Estratégia: Conceito e Evolução

Antigamente o termo estratégia era relacionado apenas com fins militares. A origem da palavra vem do grego strategos, que significa o chefe do exercito. Durante dois mil anos sua ação significava comandar ou conduzir exércitos em tempos de guerra, designando o caminho que era dado à batalha, buscando a vitória. Foi somente com a Revolução Industrial que a palavra passou a ser utilizada no âmbito dos negócios, evoluindo de um conjunto de ações e manobras militares para a disciplina de Administração Estratégica, passando a ser utilizada pelas organizações para significar a forma na qual se comportam e agem frente ao seu ambiente.

Este tema teve um crescimento acentuado abordando a competitividade das empresas e preocupação concentrada na concorrência e no mercado. Sua definição de modo organizacional é um tanto complexa, no entanto significa “criar uma posição exclusiva e valiosa, envolvendo um conjunto diferente de atividades” (PORTER, MONTGOMERY, 1999, p.63).

Para Ribeiro (2008, p.29) “está relacionada à ligação da organização a seu ambiente e, como um padrão ou plano tem a finalidade de estabelecer quais serão os caminhos, os custos, os programas de ação que devem ser seguidos para que os objetivos ou resultados estabelecidos pela organização sejam alcançados”.

A estratégia tem a função de mudar paradigmas. A hora que se muda um paradigma muda-se também o comportamento organizacional. Desta forma, encontra-se a grande dificuldade: as pistas estão no velho paradigma e resistem ao novo (SILVEIRA JÚNIOR, 1995, p.35).

A estratégia organizacional é um processo inseparável da estrutura, do comportamento e da cultura da empresa, visto que envolve etapas de formulação e identificação de oportunidades e ameaças no âmbito empresarial. A estratégia pode ser dividida em duas vertentes:

·         Estratégia como plano: baseada em planos elaborados previamente, são preparadas para às ações as quais se aplicam, sendo definidas de modo consciente.

·         Estratégia como manobra: construída por meio de ações, dos atores organizacionais, ou das forças do ambiente; são manobras planejadas com fins ludibriar os concorrentes.

Como são inúmeros os conceitos de estratégia o quadro 1 apresenta uma síntese acerca deste conceito. No entanto, este trabalho aceita que a estratégia é uma posição, ou seja, uma proposição genérica de posicionamento da organização no meio ambiente competitivo (BATAGLIA, YO, 2008, p.90). A natureza ou objeto do posicionamento refere-se a algo importante, assim definido pelos gestores da organização.

definição_estratégia

QUADRO 1 – Definições de Estratégia

Fonte: adaptado de BATAGLIA, Walter; YO, Abraham Sin Oih. A sincronização da tomada de decisão estratégica com o planejamento estratégico formal. Revista de administração Mackenzie, v.9, n.5, p.82-111, 2008.

A estratégia está ligada diretamente com a utilização de diversos recursos empresariais: humanos, técnicos e financeiros, implantando e acompanhando a constante mudança. Todavia, quando se trata de estratégias não se pretende decidir hoje acerca do futuro, mas sim tomar decisões hoje tendo em pensamento as conseqüências futuras.

1.3 Planejamento Estratégico: Conceito e Evolução

O planejamento estratégico pode ser definido de diversas formas pelos mais diferentes autores, contudo são unânimes em sua essência, visto que correspondem a uma técnica administrativa que busca organizar as idéias, ações e esforços da empresa com a finalidade de atingir o seu objetivo. Este recurso surgiu em meados das décadas de 50 e 60 como uma opção das organizações para enfrentarem os novos desafios e as mudanças que estavam ocorrendo. Inicialmente consistiu no orçamento anual a ser cumprindo e, depois passou a incluir as projeções.

De acordo com Certo e Peter (2003, p.15) o planejamento estratégico é como um processo contínuo e interativo que visa manter uma organização como um conjunto apropriadamente integrado com o ambiente no qual está inserida. Os ambientes organizacionais mudam e com isto as organizações devem se modificar adequando-se a tais transformações.

O Planejamento Estratégico é um processo dinâmico e interativo para determinação de objetivos, políticas e estratégias (atuais e futuras) das funções empresariais e dos procedimentos de uma organização (RHODEN, 2000, p.2). É elaborado por meio de uma técnica administrativa de análise do ambiente (interno e externo), das ameaças e oportunidades, dos seus pontos fortes e fracos, que possibilita os executivos estabelecerem um rumo para a organização, buscando um certo nível de otimização no relacionamento entre empresa, ambiente e mercado, formalizado para produzir e articular resultados, na forma de integração sinergética de decisões e ações organizacionais

O planejamento estratégico é comum e de responsabilidade dos altos níveis gerenciais e está ligado ao estabelecimento do rumo a ser seguido pela organização, diz respeito à seleção dos rumos das ações, levando em consideração as condições internas e externas da organização, sendo que suas ações são de alta complexidade e de longo prazo, onde sua necessidade e dada justamente pela incapacidade do gestor de efetuar a previsão do futuro, mas sim a de contar com probabilidade e que possam nortear os caminhos a serem seguidos diante de determinada situação.

O objetivo máximo do planejamento estratégico é desenvolver os valores da empresa, bem como sua capacidade gerencial e suas responsabilidade interligando a tomada de decisões em todos os níveis hierárquicos. Entretanto, somente planejamento em si não produz mudanças viáveis para a organização, sendo necessário estar atento à sua implementação e vencer as resistências, incorporando o conceito. O Planejamento estratégico corresponde à uma visão de longo prazo. Ele deve ser desdobrado em estratégias táticas (menor horizonte de planejamento), as quais, por sua vez, devem se refletir em rotinas operacionais que norteiam as atividades de curtíssimo prazo da empresa, e, tudo isso, evidentemente, indo de encontro a estratégia geral definida no Planejamento Estratégico (SCRAMIN, 2001, p.2).

Cabe, ainda, destacar que mais importante do que planejar é colocar a melhor estratégia em prática, procurando dar ao mesmo tempo maior eficiência e eficácia à organização, satisfazendo as necessidade e expectativas de todos os interessados.

Segundo Lima (2007, p.2) “o único objetivo do planejamento estratégico é capacitar a empresa a ganhar, da maneira mais eficiente possível, uma margem sustentável sobre seus concorrentes”. Unir eficiência e eficácia em busca do sucesso diante dos seus concorrentes é mais que imprescindível para as organizações, é assim que a lucratividade consegue ser mantida.

Contudo, o planejamento estratégico por si só é insuficiente, pois suas ações são planejadas para serem integrados com a parte tática e operacional da organização, já que não trabalha com ações isoladas, mas sim com o todo organizacional, afetando diretamente a direção e a viabilidade da empresa.

O processo de planejamento estratégico envolve as seguintes etapas:

·         Visão da Empresa: é nesta etapa que o gestor estabelece a missão, a visão e os valores da empresa, é onde será definida o que é a empresa e quem são os seus clientes e produtos e serviços oferecidos, identificando as crenças e as expectativas dos gestores;

·         Análise Ambiental: nesta etapa será efetuada uma análise dos ambientes internos e externos, onde serão determinados os fatores críticos para o sucesso, tais como mercado potencial, economia e levantamento dos pontos fortes e pontos fracos;

·         Definição dos Objetivos e Metas: esta etapa está associada com a missão e com a análise do ambiente, é aonde se quer chegar de acordo com a dinâmica da empresa, estabelecendo tempo para o alcance das metas e os procedimentos necessários para que estas metas sejam monitoradas;

·         Elaboração da Estratégia: esta etapa é um processo contínuo de discussão acerca da integração dos recursos em busca do alcance dos objetivos, é onde são levantadas as ações e investimentos necessários.

Para Amboni e Rogério (2006, p.3) “alguns instrumentos podem e devem constituir esses planos além da base estratégica coorporativa: objetivos funcionais (o que fazer?), ações (como fazer?), metas temporais (quando fazer?), orçamento (qual é o custo e o benefício?), equipe responsável (quem faz o que?), indicadores de performance (qual é o nível da qualidade e da produtividade?)”. De posse desse roteiro é possível garantir a satisfação do planejamento estratégico alinhando os diferentes níveis gerenciais: estratégico, tático e operacional.

Na realidade o planejamento estratégico deverá ser tratado como um todo em busca do processo de monitoração e desenvolvimento do plano de negócios da empresa sempre a procura das melhores vantagens neste mundo tão competitivo. Entretanto o mesmo deverá ocorrer de forma flexível de modo a possibilitar alterações diante das mudanças do mercado.

Comentários

Comentários

Deixar um comentário