Go to the top

Pré-candidatos destacam tecnologia em campanhas

LoFrano / Blog, Futuro, Privacidade / 0 Comments

Nos Estados Unidos, as eleições presidenciais 2020 já causam grande burburinho. No entanto, recentemente alguns dos declarados principais pré-candidatos democratas demostraram interesse em falar sobre questões tecnológicas e tornaram este tema obrigatório em suas plataformas de campanha. E não é para menos.

De acordo com um relatório divulgado pela Corporação Rand, os EUA continuam sendo líderes mundiais nos campos de Ciência e Tecnologia. Porém, a organização sem fins lucrativos lembra que, outros países poderiam ameaçar esse comando, pois há um aumento de investimentos na capacitação de seus habitantes em matérias associadas aos campos de ciência e tecnologia.

Em pauta

No decorrer da campanha que segue até novembro, quando os americanos vão às urnas para escolher o novo presidente dos Estados Unidos, serão abordados temas como: privacidade dos usuários em relação a aplicativos, rede de banda larga rural, “internet para todas as famílias”, dentre outros. No entanto, é nítido que o Vale do Silício tem grande influência política e financeira, e os pré-candidatos afirmam que é preciso agir para evitar prejuízos posteriores, já que de acordo com especialistas, até o fim das eleições (e depois delas também) é possível que aumentem as tensões com a China e, uma disputa comercial com este país poderia, dentre outras coisas, aumentar os preços dos dispositivos que compramos.

O que pensam os principais pré-candidatos democratas?

Alguns já falaram sobre questões imediatas a respeito da Tecnologia. Veja só:

Trump

Como está em exercício, há muito o que dizer. Embora o governo Trump tenha se reunido com grupos comerciais e também com grandes empresas de tecnologia para discutir sobre proteção da privacidade, não foi dito nada sobre possíveis abordagens para o problema.

Em relação à banda larga rural (conexão permanente e de qualidade de zonas rurais ou de difícil acesso), a Casa Branca trabalhou em conjunto com a Comissão Federal de Comunicações sobre o programa Rural Digital Opportunity, onde US $ 20,4 bilhões foram realocados em financiamento para subsidiar a infraestrutura de banda larga em áreas carentes.

Biden

Privacidade de dados não foi um tema muito abordado nesta campanha do ex-vice-presidente Joe Biden, no entanto, há quem se preocupe com seu histórico em outras questões relacionadas à privacidade, como por exemplo, a Lei de Assistência às Comunicações para a Aplicação da Lei, que determina que fabricantes de telecomunicações e dispositivos ajudem a polícia a controlar o tráfego em seus serviços e dispositivos. Sobre a banda larga rural, a proposta é expandir. Para isso, a sugestão é de que sejam gastos US $ 20 bilhões.

Sanders

Bernard “Bernie” Sanders afirma que no caso da violação de privacidade de dados, os executivos da empresa envolvida devem “ser processados se houver evidência de negligência”. No quesito internet de alta velocidade, a proposta é de que todos tenha acesso e incluiu em sua sugestão, US $ 150 bilhões em doações de infraestrutura, além de dizer que exigiria que os ISPs fornecessem um plano básico de baixo custo.

Warren

Pegar pesado com os CEOS das grandes empresas envolvidas com violação de privacidade também é uma das propostas de Elizabeth Warren. Para ela, os envolvidos devem ser multados ou enfrentar a prisão, caso afetem um certo número de usuários.  Em relação aos investimentos em banda larga rural, a sugestão é de US $ 80 bilhões sejam aplicados. Além disso, a candidata também propõe que as doações sejam destinadas a governos locais e empresas de capital aberto, em vez de provedores de acesso à Internet.

Buttigieg

Para manter a privacidade dos usuários, o concorrente Pete Buttigieg defende uma versão americana do ” direito de ser esquecido “, um regulamento europeu que consente aos cidadãos solicitar que plataformas, como por exemplo o Google, removam determinados resultados de pesquisa sobre eles. Em relação à banda larga rural, sua proposta de investimento é de US $ 80 bilhões.

Klobuchar

Amy Klobuchar promete, durante seu mandato, conectar todas as famílias nos EUA à Internet até o ano de 2022. Sobre a privacidade, a pré-candidata defende o que foi chamado de “dividendo de dados”, que tributaria empresas pelo compartilhamento de informações de usuários, além de devolver o dinheiro aos cidadãos.

Bloomberg

O bilionário Michael Bloomberg, ex-prefeito de Nova York, compromete-se até 2030, a expandir o acesso de banda larga a todos os americanos. Além disso, também afirma que o governo federal deve aprovar leis de privacidade de dados ou esboçar regulamentos, e também sugeriu o RGPD (Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados) da União Europeia como modelo.

Eleições 2020

De forma geral, os pré-candidatos presidenciais colocaram as questões tecnológicas como parte importante de suas plataformas. A confirmação de que elas são, de fato, de interesse da população, sairá após o dia 3 de novembro de 2020, com o resultado das urnas americanas.



Faça um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.