Go to the top

O estado de Mato Grosso é conhecido com o “Celeiro” do Brasil, com título de campeão na produção de soja, algodão e outros. Neste ano uma parceria entre a Vivo e a UISA, indústria de bioenergia e açúcar, pretende inovar na forma como o setor sucroalcooleiro faz a gestão de dados via internet no campo.

A Vivo apostou em uma área de 90 mil hectares para se fortalecer como empresa de telecomunicação do ramo agro. A parceria visa combinar Big Data, IoT (Internet das Coisas), conexão e sensores para fiscalização de um projeto em uma fazenda, através de sete torres de Internet 4G.

Mas, a ideia vai além da distribuição do sinal 4G. A proposta objetiva viabilizar a conexão de voz e dados e o projeto conta com as redes Narrow Band IoT e Long Term Evolution for Machines, que são soluções fundamentais e permitem conectividade com dispositivos estáticos, além da troca de dados com dispositivos móveis.

A expectativa é de que a informação seja 100% online para que a tomada de decisões seja rápida e assertiva.

O investimento nesta ideia não foi divulgado por questões estratégicas, no entanto, os envolvidos relatam que a Telefônica Brasil, grupo no qual a Vivo está inserida, fez contribuições de grande proporção para elaborar um portfólio de digitalização no campo, que vem sendo trabalhado há dois anos.

Do campo para a sua casa

A digitalização do campo traz diferentes ganhos ao alimento que chega para o consumidor, já que é possível detectar um problema e resolvê-lo imediatamente, sem que haja necessidade de aplicação de produtos como agrotóxicos, por exemplo.

A informação em tempo real permite a aplicação de produtos biológicos de forma ágil, sem que seja necessário o uso de químicos, o que diminui o custo para o consumidor.

Desta forma, o produto para o consumidor final se torna cada vez mais saudável, e vale lembrar que esta é uma das maiores exigências da “nova sociedade”.



Faça um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.