Go to the top

Uso do WhatsApp como ferramenta de ensino cresce de 6% para 61%

LoFrano / Blog, Educação, Transformação Digital / 0 Comments

O aplicativo de mensagens instantâneas WhatsApp ganhou uma nova função durante a pandemia da Covid-19. A educação, um dos principais setores da sociedade, considerou a plataforma de mensagens uma grande aliada para as iniciativas educacionais, tanto de escolas públicas, quanto particulares.

São mais de 120 milhões de usuários no Brasil, ou seja, 98% dos smartphones do país possuem a instalação do App. Por meio dele, professores enviam as tarefas para os alunos e também podem manter a comunicação com pais e responsáveis sobre questões pedagógicas.

Os números levantados em pesquisas realizadas entre 2014 e 2019 já apontavam a adesão, no entanto, o montante de páginas de instituições públicas de ensino nas redes sociais, como Facebook e Instagram, subiu de 46% para 73%. Nas escolas particulares, o percentual foi de 67% para 94%.

Novo ambiente de aprendizagem

Dentro do mesmo período mencionado acima, o WhatsApp registrou um crescimento exorbitante no uso como ferramenta pedagógica. Se em 2014, apenas 6% das instituições de ensino em áreas urbanas utilizavam o mensageiro para envio de trabalhos escolares, em 2019, segundo o TIC Educação, esse índice subiu para 61%.

A pandemia deu um empurrãozinho a mais já que o distanciamento social tirou os alunos de dentro das salas de aula.  O aplicativo trouxe benefícios no processo de absorção de conhecimento dos alunos, já que ele não requer uma plataforma cheia de logins e senhas. É apenas o acesso à internet e o conhecimento logo ali, na palma da sua mão, possibilitando o acesso à vídeos, textos, colegas e professores.

A crise sanitária do novo coronavírus sentenciou diversos desafios ao ambiente educacional, no entanto, propiciou o crescimento da adoção de soluções tecnológicas voltadas ao ensino baseadas no WhatsApp.

O AprendiZAP, criado pela Fundação 1Bi, do grupo Movile, é uma delas, e conta com a parceria da Fundação Lemann e da Imaginable Futures. A plataforma tem mais de 1.400 aulas de sete disciplinas – língua portuguesa, língua inglesa, matemática, história, geografia, ciências e artes e possibilita o acesso dos estudantes aos materiais didáticos, além de permitir que eles façam até mesmo testes por meio do mensageiro.

A plataforma é gratuita e já conta com o acesso de mais de 200 mil estudantes e 26 mil docentes conectados.

Estrutura

A estrutura do WhatsApp também foi aproveitada pela edtech norte-americana ChatClass, que já impactou mais de 500 mil alunos através de sua tecnologia. Mais de 10 mil professores já estão cadastrados na plataforma que possibilita que os educadores criem trilhas de conhecimento com materiais didáticos e a confecção de perguntas.

Os alunos, por sua vez podem enviar mensagens de voz e fotos para responder às perguntas, que são criadas por robôs e analisadas por inteligência artificial. Na outra ponta, os professores têm acesso aos relatórios com o progresso e desempenho educacional de cada estudante.

Ao final da pandemia é bem provável que a plataforma continue no dia a dia dos estudantes, de forma educacional, já que o aplicativo além de facilitar e agilizar processos, também é considerado uma ferramenta muito humana e social, que permite que sejam mescladas a utilização de bots com a atuação de tutores no processo de aprendizado.



Faça um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.