Go to the top

Startup de biotecnologia aposta em IA para levantar financiamento para medicamento

LoFrano / Blog, HealthTech, Inteligência Artificial, Tecnologias Emergentes / 0 Comments

A Insilico Medicine, empresa de biotecnologia de IA (Inteligência Artificial) com sede em Hong Kong divulgou a descoberta de um novo medicamento para a fibrose pulmonar idiopática, doença que leva a dificuldades respiratórias.

Após estudos, a startup desenvolveu possíveis medicamentos assertivos para esta doença e recentemente, levantou US$ 255 milhões em financiamento da série C, durante uma rodada liderada pela firma de private equity Warburg Pincus. Esse valor fez com que o investimento da empresa fosse para US$ 310 milhões, montante suficiente para iniciar a realização dos testes clínicos em humanos.

O setor ainda dispõe de concorrentes fortes no uso de IA para o desenvolvimento de novos medicamentos. Essa concorrência nos leva a um dado significativo: em 2021, o mercado global de inteligência artificial no Drug Discovery (descoberta de medicamentos) foi avaliado em US$ 230 milhões. A previsão é de que até 2031, o valor de mercado deste segmento alcance até US$ 4 bilhões, segundo o relatório da Vision Gain (empresa de inteligência de negócios de crescimento).

Potencial medicamento

A tecnologia de IA da Insilico e as parcerias com os principais farmacêuticos foram responsáveis por atrair investidores para a startup, mostrando que a IA e o aprendizado de máquina são ferramentas poderosas neste processo de descobrimento de medicamentos, podendo transformar a vida de pacientes de uma forma jamais vista antes.

A startup iniciou a localização de um alvo pré-clínico de fibrose pulmonar idiopática e posteriormente, fez uso de alguns processos de aprendizado de máquina para restringi-los a um alvo específico, relacionado à fibrose pulmonar idiopática. A partir daí, por meio de uma ferramenta interna chamada Chemistry42, novas moléculas para atingir a região foram geradas e o potencial medicamento pré-clínico foi classificado, segundo um comunicado emitido pela empresa, como eficaz e seguro em estudos em ratos.

Segundo o comunicado, este é um dos primeiros, se não o primeiro caso registrado em que a IA identificou um novo alvo e projetou um potencial pré-clínico para uma doença muito ampla, cujo tratamento para pessoas com essa condição é de extrema necessidade.

Futuro

Os pacientes com fibrose pulmonar idiopática podem desenvolver uma insuficiência respiratória, já que o sangue não recebe oxigênio adequado e grande parte deles acaba morrendo dentro de dois a três anos após o desenvolvimento da doença.

Se o potencial medicamento da startup for aprovado durante os testes clínicos, pacientes e a indústria como um todo poderão comemorar, já que este é o primeiro passo de um longo caminho a ser traçado.



Faça um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.