Go to the top

2030: a ascensão da realidade virtual e da inteligência artificial

LoFrano / Blog, Futuro, Inteligência Artificial, Robôs, Tecnologias Emergentes / 2 Comments

Recentemente falamos sobre o que a Singularity University (SU) universidade do Vale do Silício prevê para os próximos anos, no entanto, deixamos a “surpresa” para este texto.

Vamos pensar lá na frente: 2030. Faltam apenas 11 anos, e de acordo com as previsões da SU, nesta época, graças aos avanços tecnológicos, as pessoas mais ricas terão acesso ao que podemos denominar “velocidade de escape da longevidade”, que vai ampliar a expectativa de vida das pessoas em mais de um ano.

Além disso, o palpite da SU é de que a inteligência vá passar no teste de Turing, que avalia a capacidade de uma máquina apresentar comportamento inteligente equivalente a um ser humano (e até mesmo, superá-lo).

Futuro

Imagem: rebloggy.com

Por falar em humanos, tantos erros no quesito ambiental e mudanças climáticas vão mudar a forma das pessoas verem o problema. As emissões de carbono, a cada ano, irão cair e então, será assinado um plano global de emissão zero até 2050 de carbono.

Máquinas

E os robôs? A SU já antecipou: em 2032, robôs avatares vão se tornar bem populares, permitindo que qualquer um possa teleportar sua consciência para localidades afastadas em todo mundo.

Eles também serão comuns em locais de trabalho, extinguindo todas as tarefas manuais e interações repetitivas: imaginem só, dar adeus para profissões como as de recepcionistas, guias turísticos, pilotos, motoristas, serventes e construtores.

Dois anos depois em 2034, já existirão empresas que farão conexões significativas entre o córtex humano e a nuvem. E, alguns problemas mundiais serão solucionados, como por exemplo, câncer, pobreza…além de problemas científicos complexos, que exigem alto nível de realidade aumentada para entendimento – tudo isso, através da I.A.

Alguns anos depois, novamente teremos novidades sobre a longevidade. Alguns tratamentos irão se tornar disponíveis rotineiramente, estendendo a vida das pessoas comuns em 30 a 40 anos. As cidades inteligentes também não ficam de fora e evoluem: serão hiper eficientes em utilizar energia solar, produzir e difundir alimentos, oferecer segurança e transporte hábil.

Ainda mais longe

Em 2038 – e não seria necessário ser nenhuma Mãe Dináh para prever, o nosso dia a dia já não será mais reconhecível. E sim, são elas as responsáveis:  a realidade virtual e inteligência artificial incitam todas as partes da vida humana, no mundo todo.

Conforme as previsões da Singularity University: “Você pode fugir, mas não pode se esconder – o futuro é inevitável”. Mas fico ainda mais pensativo com a frase citada por minha amiga futurista Beia Carvalho: “Você vai deixar o futuro te atropelar?”

Beia Carvalho 9 de abril de 2020

Ah, que honra ser citada em seu artigo e - ainda mais - num posto acima da SU. Haha, amei!!! Eu sou suspeita: adoro esse mote “Você vai deixar o futuro te atropelar?”. Pois é, mais e mais temos que refletir meu pensamento que antecedeu esse mote: "Esse é um futuro que você imaginou (dentre tantos futuros) ou é um futuro que te atropelou?".



Faça um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.