Go to the top

MVP é realmente fundamental para minha startup?

LoFrano / Blog, Negócios Digitais, Startup / 0 Comments

A sigla MVP vem do inglês ‘minimum viable product’ e significa “Produto Minimamente Viável”. Em outras palavras, refere-se a um produto ou serviço na versão mais simplificada possível, mas que atenda às necessidades do mercado.

O mundo das startups tem ouvido muito esse termo, cujo conceito apresenta a visão inicial da startup, sinalizando se aquela ideia corresponde mesmo a um produto atraente (na vida real) ou se era apenas uma expectativa ilusória.

Para quem deseja abrir um negócio ou lançar um novo produto, é preciso se atentar às fórmulas, procedimentos e processos utilizados pelas grandes empresas, especialmente no início, para que assim, possam consolidar seus negócios, sem gastarem rios de dinheiro em períodos iniciais.

Experiências

São experimentações práticas, que levam uma amostra do produto ou funcionalidade ao púbico alvo. Desta forma, compreende-se a reação do mercado e se, de fato, estão apresentando uma solução para o “problema” do consumidor.

Consegue entender a importância do MVP para uma startup? Pois bem, se você parar para pensar, uma das principais características das startups é a rapidez na mudança de curso do projeto e flexibilidade nas soluções e modelos de negócios. O MVP é a ferramenta que possibilita validar e testar as opções de solução de forma muito rápida.

Simplificando

Tentando exemplificar de outra forma: imagine uma nova estação de metrô, que depois de muito tempo de construção é inaugurada, mas antes de ser aberta ao público opera, discretamente, em “período de testes”, mostrando aos usuários durante alguns dias a nova estação e permitindo a realização de viagens experimentais, mas em escala reduzida. O MVP é semelhante a este período de testes, sendo esse processo muito eficiente para avaliar a solução apresentada aos usuários.

Etapas

Agora que você já conhece o conceito, vamos te apresentar três dicas para construir um produto minimamente viável. Preste bem atenção:

1.     Ao desenvolver um produto ou funcionalidade, foque em construir o básico. Isso pode ser difícil, já que na maioria das vezes, queremos entregar algo mais completo e que seja perfeito para o usuário.

2.    Defina quais requisitos ocasionarão em benefícios suficientes para reter usuários porque, por mais que seja uma versão mais básica, é necessário entregar valor para o usuário.

3.    Aproveite os dados do uso do produto para analisar como foi a percepção dos clientes sobre a primeira versão. Confirme a entrega do valor, a satisfação do cliente ao utilizá-lo, preste atenção aos feedbacks e tudo que for informado, para compreender e aprender mais sobre as necessidades dos clientes e sobre o desenvolvimento de funcionalidades futuras para então, tornar seu produto ainda mais completo.



Faça um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.